TUCA PUC 1977
EU QUASE QUE NADA SEI. MAS DESCONFIO DE MUITA COISA. GUIMARÃES ROSA.

terça-feira, 31 de julho de 2007

Jobim... Hood


Do Blog do Messias Mendes

De Hélio Fernandes sobre Jobim
"Imprensado e apressado, Lula indicou, nomeou e empossou um dos mais contraditórios, carreiristas e controversos personagens da vida pública brasileira, Nelson Jobim. Este encenou a farsa da não aceitação. Desde os rumores até à concretização, sabia que ia aceitar.E curiosamente, de passado altamente duvidoso, derrotado e execrado em todos os cargos pelos quais passou e por todos que não conseguiu conquistar, é rigorosamente O HOMEM CERTO PARA O MOMENTO INCERTO.

1 - Traiu a constituinte e a Constituição, "introduzindo" um princípio que não existia nem foi votado.
2 - Deslumbrado pelos holofotes, mais tarde confessaria a fraude.
3 - Mas já estava no Supremo Tribunal Federal, depois de uma passagem pífia e inútil pelo Ministério da Justiça.
4 - Pelo sistema de rodízio chegou a presidente do Supremo, com atuação desgastante, delirante e decadente.
5 - Agiu sempre diferente de um ministro do Supremo, desagradou a todos.
6 - O movimento de magistrados do seu Estado, o Rio Grande do Sul, liderado perante o Supremo pelo grande advogado Ivan Nunes Ferreira, obrigou Nelson Jobim a se aposentar precocemente do Supremo 11 anos antes do obrigatório.
7 - Ficou vagando pelo espaço (aéreo?), derrotado em todas as ambições (e sua vida é cheia de ambições), não conseguiu ser vice de Lula, chefe da Casa Civil, presidente do PMDB, fortemente apoiado e sustentado por Renan Calheiros. Essa é a sua vida".
O comentário acima é do jornalista Hélio Fernandes, dono do jornal carióca Tribuna da Imprensa e autor da coluna mais lida daquele tradicional matutino carioca, que um dia pertenceu a Carlos Lacerda, inimigo figadal de Getúlio Vargas e JK. Hélio é uma lenda viva do jornalismo brasileiro e do alto dos seus mais de 80 anos de vida e pelo menos 60 de jornalismo, sabe o que está falando.

Lula: as vaias são de "gente" que ganharam mais em seu governo



Do Blog do Noblat
Os que vaiam Lula são os que mais ganharam, diz ele
"A gente tem duas orelhas, uma para escutar vaia e outra para escutar aplauso. Os que estão vaiando eram os que deveriam estar aplaudindo. Os que estão vaiando, posso garantir, foram os que mais ganharam dinheiro nesse país, no meu governo. Aliás, a parte mais pobre é que deveria estar mais zangada, porque teve menos do que eles tiveram. É só ver quanto ganharam os banqueiros, empresários. Vamos continuar fazendo política sem discriminação". (De Lula, hoje, em Cuiabá.) Leia mais aqui
E aqui, veja Lula explorando como de costume sua condição de ex-miserável para extrair vantagens políticas

COMENTÁRIO: O Povo é povo. Os empresários, diz Lula, estão com ele. Então, quem vaiou?

Lá (em Brasólia) como cá, em Maringá todos usam e abusam dos carros "oficiais"


Do Blog do Josias de Souza (FSP/ UOL)


É irrefreável o instinto de certos políticos de ter à sua disposição tudo o que o dinheiro –do contribuinte— pode comprar. Pilhado num ato de mordomia explícita, o deputado estadual tucano Vaz de Lima concedeu uma entrevista à coluna de Mônica Bergamo (assinantes da Folha). Nota-se em cada palavra o extraordinário esforço empreendido por Sua Excelência para não parecer o que realmente é. Ao final, verifica-se que ele acabou sendo precisamente o que parece. Leia:

Chapa branca : O deputado estadual Vaz de Lima (PSDB), presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, usou um carro oficial para ir ao casamento de Sophia Alckmin e Mário Ribeiro, na noite de sexta. O veículo, um Astra preto, levou o político e a mulher Ivani ao mosteiro de São Bento, local da cerimônia. O deputado falou à coluna:

- O senhor usou um carro oficial da Assembléia para ir ao casamento? Eu sou o presidente da Assembléia, era uma representação.
- Mas um casamento não é um evento oficial. Pelo menos essa tem sido a normalidade. Não vi nada que pudesse me impedir, entendeu? Tenho meu carro, tenho tudo, mas não vi nada de irrelevante [sic] nessa história. Cada um tem que ter o seu juízo no momento.
- E o senhor não considerou isso [o uso do carro oficial] um problema? Tanto não considerei que fui. Não vi nenhum problema. O indivíduo tem que ter discernimento. Eu tento distinguir isso da melhor maneira possível. Vou te dar um exemplo: ontem eu levei meu neto ao teatro. "Catei" meu carro e fui, claro. Não poderia ir de outra forma. Antes de ontem, teve aniversário da filha de um assessor. Fui com meu carro pessoal. É preciso ter sensibilidade.
Que diferença existe entre o aniversário da filha de um assessor e o casamento da filha do ex-governador Alckmin? Na minha avaliação, eu iria encontrar o mundo político todo lá [no casamento de Sophia Alckmin]. Eu não imaginei que isso pudesse ser um problema.
Escrito por Josias de Souza às 12h35

Em Cuiabá: viola, vaia e vantagens do PAC

Do BLOG do Claudio Humberto

31/07/2007 18:02

Por fora, bela viola...O presidente Lula, que já "tocou" guitarra doada por astros pop para o Fome Zero, atacou hoje de viola pantaneira, presenteada pelo prefeito de Cuiabá (MT) Wilson Santos (foto de Roberto Stuckert). Surdo às vaias do lado de fora do Centro de Eventos, onde anunciou verbas do PAC, auto-intitulou-se "Almir Sater do Planalto" e dedilhou algumas cordas, mostrando que toca do mesmo modo que governa.

Piloto? que piloto?


O que falar quer dizer


Anônimo disse...
Marta. eu não te entendo, por que esse odio por ricos, são pessoas humanas, possuem sentimentos, familias, o que você queria, que nós assumindo o governo matassem todos eles?
31 de Julho de 2007 13:19
Comentário: 1) todos somos humanos mesmo? 2) ódio dos ricos? 3) sentimentos e famílias? Nós, nós, quem cara pálida?

Bergman e Antonioni

Imagem: Bergman, UOL
Morreram Bergman e Antonioni. Na década de 70 esses cineastas educavam jovens universitários como eu. Em Ribeirão Preto, terra de donos de bois e canaviais, o "ar" era bem conservador. Na USP e nos bares, associações de estudantes e outras, havia um ar mais libertário. A USP local era odiada e amada pelos senhores do engenho. Em 1975/76, a zelite local quis comprar a faculdade de filosofia, ciências e letras, a FILÔ, como era chamada nossa faculdade, que ficava no Campus da USP junto com o curso de Medicina e Odontologia. Em 1976 a USP, finalmente, encampou a filô e o projeto da Universidade (privada) de Ribeirão Preto, a URP ficou para trás. Entre 1974 e 1977, as sessões de cinema, sempre ocorriam as 22h, um dia por semana; supriram um vazio da cultura de ribeirão. Bergman, Antonioni, Kurosawa.... Salve Bergman! Salve,Antonioni! Não estão no currículo de nenhum curso universitário, mas valem para uma formação mais crítica, humana...sensível...

Fábula moderna


A Glória Reis mantém dois BLOGS: Glória Reis, antigo Leopoldina como ela é, e o REcomeço em apresenta o trabalho da Pastoral Carcerária em Leopoldina. Visitei o Recomeço hoje e trouxe um texto da Glória sobre como é dura a vida da zelite brasileira, a do Movimento Cívico dos Brasileiros (SIC) Cansei de ser zelite
Leia aqui a Fábula Moderna:
Colunas sociais e gente ligada ao meio têm como um dos assuntos mais constantes da atualidade o namoro da mineira Ana Vitória Motta (foto) com o milionário Germano Gerdau. Tudo acaba aparecendo na imprensa: o apartamento triplex que ela ganhou aqui em BH, a cobertura da Vieira Souto, os detalhes do aniversário dele, comemorado no Rio com infra-estrutura mineira (decoração de Denise Magalhães e bufê da Maccielina), o iate de US$3 milhões, a casa em Angra, para o barco ter um pouso certo, e até as 700 mil libras que ela gastou em shopping londrino. A moça é daqui, foi casada com Sérgio Mota, sobrinho de Newton Cardoso, é filha de Jorge Motta, que já morreu e era um dos principais colaboradores do senador Eliseu Resende, e de Elizabeth Leste, que depois de viúva foi morar em Curitiba, onde se casou de novo e mantêm uma grife de jóias. O Romeu apaixonado é membro de uma das 10 maiores fortunas do país – tem grana para gastar com quem quiser...
José do Carmo disse...
O grupo Gerdau realmente é enorme. Há uns 15 anos passados, uma sentença judicial condenando um membro da família Gerdau a pensionar sua ex-mulher também foi objeto de escândalo na imprensa. O juiz mandou pagar uma pensão milionária. É que a lei diz que o VALOR DA PENSÃO deve ser calculado segundo as POSSIBILIDADES do (a) pensionante e NECESSIDADE do (a) pensionado (a). No caso da família Gerdau lê-se na Wikipédia:Johann Heinrich Kaspar Gerdau, um nativo de Hamburgo, Alemanha, imigrou para o Brasil em 1869 e estabeleceu-se como um comerciante, administrando a empresa João Gerdau & Cia, fundada em 1870 em Cachoeira do Sul, no estado do Rio Grande do Sul. Por volta de 1900, Gerdau, que adotou o nome "João", mudou-se para a capital Porto Alegre. Lá, ele entrou num novo negócio, comprando com seu filho Hugo a fábrica de pregos Pointes de Paris no ano de 1901. No fim do século XX, a companhia Pontas de Paris tornou-se a maior fabricante de pregos no mundo.A empresa, no entanto, enfrentou dificuldades em encontrar matéria-prima na década de 1940, em razão da Segunda Guerra Mundial. O então presidente, Curt Johannpeter (genro de Hugo e pai de Jorge Gerdau Johannpeter), liqüidou imóveis da família para efetuar a compra da Siderúrgica Riograndense, que solucionou o problema com matéria-prima.Atualmente, o Grupo Gerdau tem 157 unidades industriais no Brasil, Canadá, Estados Unidos, Uruguai, Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Espanha. Em sua linha de produção é fabricado arame farpado, pregos, rebites, vergalhões, perfis para construção, aços especiais, entre outras variedades de aço de diversas características e bitolas. Ocupa a décima quarta posição entre os maiores grupos siderúrgicos mundiais e emprega trinta e dois mil funcionários. As ações de suas empresas estão nas Bolsas de Nova York, Toronto, Madrid e, naturalmente, São Paulo.[editar] Conselho de AdministraçãoO Conselho de Administração do Grupo Gerdau, responsável pelo direcionamento de políticas, estratégias e controles, é formado por nove membros, listados abaixo:Jorge Gerdau Johannpeter: Presidente, Germano H. Gerdau Johannpeter: Vice-Presidente, Klaus Gerdau Johannpeter: Vice-Presidente, Frederico C. Gerdau Johannpeter: Vice-Presidente, Carlos J. Petry: Vice-Presidente, André P. de Lara Resende: Conselheiro, Affonso Celso Pastore: Conselheiro, Oscar P. Bernardes Neto: Conselheiro. Expedito Luz: Secretário ............................
31/07/2007 03:54:00

Visto as sandálias da humildade e sugiro ao nosso prefeito...um calçadão!


Valter T. Dubiela disse...
Obrigado Balestra e Marta. Acho que varias avenidas poderiam ser pensadas como calçadao. Eu sugiro doi eixos ortogonais. Um deles é a Getúlio Vargas, que ja tem dois trechos destinados exclusivamente aos pedestres.O outro é a Horacio Racanello, mas, estes eixos deveriam estar integrados à um projeto mais amplo de interligaçao do serviço de transporte coletivo, incluindo onibus ou bondes eletricos, ciclovias e serviços públicos. É este projeto que ainda nao está claro, para que a populaçao possa discutí-lo e defender seus interesses. O que é evidente, é a pol­itica de loteamento do patrimonio público (calçadas inclusive) aos interesse particulares, em detrimento da maior parte da populaçao.

Pinóquio no governo


Recebi de Brasilianas....
Brasil: Os dados do censo e a vida real do povo por Waldemar Rossi [*]
Alguns meios de comunicação social tentam nos passar a idéia de que as desigualdades sócio-econômicas vêm diminuindo no Brasil. Durante os primeiros meses deste ano, até os membros do governo federal arrotaram tais dados, ocultando a verdade sobre a miséria, que continua avançando e invadindo os lares do povo trabalhador. Já nos dois anos anteriores, esta coluna chamava a atenção para as mentiras e meias verdades constantes dos pronunciamentos oficiais e o papel enganador exercido pela mídia, procurando ocultar ou justificar os escandalosos lucros das grandes empresas, especialmente dos bancos nacionais e internacionais que aqui operam. Gabriel Ulyssea, pesquisador do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) do Ministério do Trabalho, revela que apenas 10 entre 100 brasileiros detêm 80% da renda nacional [1] , isto é, 80% de todas as riquezas que são produzidas no país. Logo, os outros 20% são distribuídos pelos 90% dos demais viventes desta terra. Mas, aí há que fazer outras tantas sérias diferenciações. Por exemplo, os 52 milhões de brasileiros que estão abaixo da linha da pobreza – leia-se miséria – abocanham tão somente aquilo que resta das feiras, dos lixões, das bolsas-escola, dos atos misericordiosos de tantos cidadãos sensibilizados pela fome reinante. Ou seja, nada recebem das riquezas que ajudaram ou ajudam a criar. Há ainda os que trabalham e que têm suas rendas situadas abaixo de dois salários mínimos, e estes beiram os dois terços da população que está na ativa, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2006. Entre os 90% que ficam com 20% das riquezas há também uma pequena parcela que recebe acima de 46 mínimos mensais, como no caso dos “heróis” do Lula, os ministros, que recebiam (já sofreu aumento) salários líquidos de R$ 17.500 [2] . Há ainda os juízes e ministros da Justiça, os deputados e senadores, todos eles incluídos nesses 10% de “pobres”. Assim, mesmo entre aqueles que não fazem parte dos multimilionários, existe uma parcela que devora boa parte do que aparece como sendo distribuído entre todos os demais. Pode-se concluir, portanto, que existem dezenas de milhões que permanecem e morrem na miséria; existem outras dezenas de milhões que sobrevivem, mas estão na linha da pobreza, padecendo enormes carências; há os que se beneficiam dos favores do poder e há os que são os verdadeiros sanguessugas que proliferam por estas terras de Santa Cruz, graças aos favores da lei que abrem enormes brechas em favor dos poderosos. Outro detalhe importante a conhecer e aprender a diferenciar é que, numa população de 180 milhões de pessoas, apenas 130 mil possuem uma riqueza acumulada de R$ 573 mil milhões, mais da metade do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, tornando-se os mais ricos de toda a América Latina (dados da Receita Federal), segundo a Folha de S. Paulo de 15 de julho. Ora, esses 130 mil são bem menos que os 10% mais ricos já citados. Portanto, concentração ainda maior, desigualdade crescente e não decrescente. Quando o IBGE e outros órgãos de pesquisa oficial fazem seus levantamentos recebem de volta as declarações dos entrevistados. Ora, os dados fornecidos não correspondem à realidade dos fatos porque a imensa maioria dos ricaços sonega a verdade, seja para se livrar do Fisco pagando menos imposto, seja por medo da violência que se alastra no país, segundo Ulyssea, em comentário de Clóvis Rossi de 17 de julho. Portanto, a riqueza de um punhado de privilegiados é bem maior do que têm arrotado a mídia e membros do governo, assim como é maior ainda a desigualdade. Estamos sendo nivelados por baixo, gota a gota, até que a maioria da população seja jogada no fundo do poço da miséria e da amargura. Nossas esperanças de que esse estado de coisas comece a mudar se fundam no amadurecimento, embora lento, da consciência crítica e da mobilização das forças sociais organizadas. Os protestos continuam a crescer por toda parte do país e sua tendência não é de arrefecer, muito pelo contrário.
18/Julho/2007
[1] No Brasil usa-se esta expressão para designar o rendimento nacional. [2] 1€ =~ 2,57 reais [*] Metalúrgico aposentado e coordenador da Pastoral Operária da Arquidiocese de São Paulo. O original encontra-se em http://www.correiocidadania.com.br/content/view/617/48/

Cansei dos bilionários, cansamos da CUT.....hehehehe


Do BLOG do NOBLAT (link lado direito)

Contra "Cansei", CUT lança "Cansamos"
Da Folha de S.Paulo, hoje:

"Como o Palácio do Planalto desejava, começaram a aparecer reações "espontâneas" contra o Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros, o já conhecido "Cansei", -que se uniu a outros grupos no em ato de protesto no último fim de semana, em São Paulo. Ontem, o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Artur Henrique, disparou e-mail para várias centrais sindicais propondo a realização da campanha "Cansamos!". É uma reação direta ao "Cansei".
O "Cansei" se diz apolítico, mas seus idealizadores são identificados com o PSDB. Já a CUT é a mais tradicional central sindical petista. O "Cansamos!" também pretende ser apartidário, mas usará claramente o mote dos adversários. "A campanha será veiculada em nossas páginas de internet, em jornais impressos e programas de rádio de que dispomos", diz Artur Henrique no e-mail.
O "Cansei" está na pauta da reunião de hoje da Executiva Nacional do PT. "Temos que ter tranqüilidade, não aceitar esse tipo de provocação e nem alavancar esse movimento cujo patrono deve ser a Haddock Lobo ou a Oscar Freire", diz Ricardo Berzoini, presidente do PT, referindo-se a ruas de bairro nobre da capital paulista." Assinante da Folha leia mais


Comentário: e, nós? FORA CUT! FORA CANSEI! XÔ! A CUT luta contra os bilionários que foram ajudados pelo Pallocci, ex-ministro da fazenda, do PT, ex-Libelu, que adorou dar JUROS estratoféricos aos banqueiros (do "movimento cívico dos brasileiros" SIC).... agora os empresários ganham dinheiro do PAC (com dinheiro do FGTS dos trabalhadores) apoiado pela CUT... GENTE! TÔ pirada????? Ou os cutistas estão malucos?
Na imagem: EU, Marta, e nós todos, quando leio coisas assim. CUT? FUIIIII!

Festival de besteira que assola o país


Do Blog Leite de Pato
Terça, 31 de Julho de 2007
A DEMISSÃO DO PRESIDENTE DA INFRAERO
Acho que descobri o motivo da provável demissão do presidente da Infraero, o brigadeiro José Carlos Pereira: ele está ofuscando Lula! No governo, ninguém pode falar mais besteiras do que o presidente!!!
“A malha aérea do país inteiro foi para o espaço.”“O importante é saber lidar com o pepino.”
“(…) todo mundo sabe que a melhor proteção para um avião não cair é ele não decolar.”
A concorrência estava demais mesmo…

Do BLOG Panorama
Eu ouvi!
Ouvi pelo rádio o longo discurso de Lula na Paraíba. Mais uma vez, ele se queixou das cobranças sobre o fato de não ter cursado universidade. Daí, ele faz o de sempre: o elogio da ignorância, minimizando o esforço dos que estudam ou estudaram. Desta vez, achou de tentar ridicularizar os que falam outro idioma além do português. O presidente presta um desserviço ao país quando assim procede, e o pior é que mensagens como essa, por incrível que pareça, fazem enorme sucesso de público, a julgar pelos aplausos dedicados às sandices que falou na Paraíba. E olha que tinha muita gente de nível médio e superior por lá... Saída da boca de Lula, no entanto, qualquer bobagem parece merecer aplausos. Como deverão ter recebido as piadinhas presidenciais os milhares de professores e estudantes de idiomas do País? Hoje, qualquer estudante universitário sabe da importância de buscar conhecimento de outras línguas além da nossa, inclusive para alcançar melhor colocação no mercado de trabalho. Na área das engenharias - minha área - são muitos os exemplos. A globalização não é uma abstração - é uma realidade. No curso a que sou ligado (Engenharia Elétrica) - e em outros cursos também deve ser assim - essa necessidade é sentida pelos estudantes que querem participar de intercâmbios acadêmicos internacionais. E depois, uma vez graduados, quando são contratados por empresas multinacionais. Até mesmo para estudar os livros-texto de algumas áreas, é preciso ter conhecimento mínimo de inglês, principalmente. Se o presidente acha que estudar e/ou falar inglês, francês, espanhol ou alemão, é coisa de gente "metida a besta", é capaz de também achar que essa história de qualidade na educação é uma bobagem... Faz sentido: a expansão universitária que seu governo vem promovendo não tem revelado a mínima preocupação com esse aspecto. Quem tem acompanhado esse processo, sabe bem. Às vezes penso que, no íntimo, Lula gostaria de ser FHC... É certo que vem tentando imitar o ex-presidente em outros aspectos (política econômica, privatizações etc), mas na formação, ele sabe que é impossível. Poderia ter feito como Vicentinho, seu companheiro de lutas sindicais, que arranjou tempo para estudar e se graduar. No entanto, não o fez. Agora, acha de desvalorizar e criticar quem estuda. E sob os aplausos calorosos de gente que estudou... Como é que pode? (Mario Araujo Filho)

Cansei III: análises


Roberto Balestra disse...
Marta, tomo a liberdade de colar postar aqui também minha opinião sobre o assunto do CANSEI, já dada na Pandora e no Rigon:"E'ondé que tava essa turma toda até agora? FIESP, e tal e coisa. Ouvindo o tilintar do vil metal entrando nos caixas (deles)? Caçando no pantanal com seus Lear-Jets?..., me desculpe, mas o povo anda longe, anos-luz deles... lá na poeirinha cósmica... no rabo do foguete, se queimando todo, com aquela bolinha vermelha no "nazo", já até absorvida pela pele. Não acredito nesses movimentos. Mas mesmo assim, vou pagar pra ver e terei humildade (e coragem) em reconhecer meu eventual erro, pode deixar..." abç RBAh, vi que você indicou o livro O CHEFE no seu blog, viu? Parabéns. Esparramemos

Fábio Max Marschner Mayer disse...
Quem está partidarizando esse movimento é o próprio governo, vide a declaração de hoje, do Sr. Berzoini.Mas, sinceramente, não sou simpático a esse movimento, porque ele tem a proposta de levar o nada do nada ao lugar nenhum, porque vão protestar contra um poder executivo que há decadas condiciona o ataque a qualquer problema nacional ao aumento de impostos, um poder legislativo omisso e um poder judiciário que nada mais é que uma confraria de amiguinhos de classe média-alta formados em direito, cuja maioria dos integrantes diz que trabalha, mas chega nos fóruns as 14h e sai as 17, gozando de 60 dias de férias por ano não sem reclamar do excesso do trabalho.Melhor se fosse mesmo um movimento político, que pusesse os poderes da república de cabelo em pé, como as Diretas Já... se for essa coisa anódina que propõe, a politicalha nada mais fará que rir e fazer piadas à boca miúda, como já fez o Sr. Berzoini.
Comentário: O Berzoini...Pensei que fosse mais inteligente, mas ....

segunda-feira, 30 de julho de 2007

Cansei! Os ricos bilionários também cansam....II


Do BLOg do Josias de Souza FSP
Antes do lançamento do “Cansei”, a “elite branca” costumava combater à sombra, entremeando um bom uísque entre uma batalha e outra. Os “cansados” só decidiram desafiar a luz do Sol porque queriam dar visibilidade ao movimento. Arriscam-se, porém, a ficar sem vitrines para exibir o seu “cansaço”. Leia abaixo o que informa a coluna de Mônica Bergamo (assinantes da Folha):

MENOS DOIS - Baixa de peso no movimento "Cansei", organizado por empresários como João Doria e Paulo Zottolo, da Philips: a TV Globo e a TV Bandeirantes decidiram não ceder espaços para a veiculação de anúncios do protesto. A avaliação interna da Bandeirantes foi a de que a campanha, com slogans contra a corrupção e o caos aéreo, poderá ganhar conotação político-partidária.
PARÂMETRO -A TV Globo fez avaliação semelhante. Convidada por Jesus Sangalo, irmão da cantora Ivete Sangalo, a emissora chegou a participar de reunião do "Cansei". Concluiu que a campanha não se enquadra nos parâmetros de ações sociais, de filantropia e de cidadania necessários para que ela divulgue anúncios gratuitamente. A Globo chega a ceder o equivalente a R$ 154 milhões para campanhas de entidades como a Organização Mundial de Saúde.
APARTIDÁRIO - João Doria, que organizou eventos de arrecadação de dinheiro para a campanha presidencial de Geraldo Alckmin, em 2006, contra a reeleição do presidente Lula, nega que o "Cansei" seja contra o governo. Diz que o movimento é cívico, apartidário e sem viés político.

Comentário: Ufa! que cansada, sai da aula agora! Tenho ainda mais aulas a noite!

Viva a liberdade de ir e vir! Mais espaço, mais praças, calçadão e não calçadinha!


Gostei da blogagem coletiva hoje em Maringá. Uma idéia boa li neste post do Valter Dubiela, arquiteto e urbanista, paranaense que está atualmente no Canadá. Escreve no Factorama. A Avenida Brasil poderia ser um calçadão? Creio que vale pensar isto. O projeto das canaletas do prefeito SBII torna a avenida uma imitação barata de São Paulo.. Barata e feia. Por que não brindar o povo maringaense com mais calçada, sombra e água fresca? Um brinde à preguiça, leitura de jornal e cafezinho. Não, o prefeito gosta de poluição, barulho e feiúra. Além de dimuir o espaço dos cidadãos. Temos que lutar pela beleza, passeio... verde... Andye: parabéns pela iniciativa! parabéns aos blogueiros que aderiram à causa!

Leiam o que Dubiela escreveu:
O passeio aos pedestres!O projeto do centro de Maringá, feito por Macedo Vieira, previu as calçadas largas jamais vistas em outras cidades brasileiras. Talvez o mesmo desenho de calçadas tenha se repetido em Cianorte, também projetada por Macedo Vieira. Inspirando-se talvez do modelo de City-Garden, de Howard, e também para compensar a falta de espaço destinado aos pedestres, muitas cidades na Europa, impediram o tráfego de automóveis em trechos de ruas. Aos poucos, todo os núcleos históricos mais importantes tiveram o acesso de carros limitado, permitindo apenas os veículos públicos. Como resultado, a rua se tornou uma praça linear, onde as pessoas podem parar, escolher uma cadeira de um restaurante ou de uma bar, tomar um café e ler o jornal sem serem incomodadas pelo barulho dos veículos, podem olhar os passantes ou conversar tranquilamente. Nesses casos, a rua reassume a sua função urbana inicial como lugar democrático de encontro e de socialização, que foi reduzido à praça, após a invenção do automóvel. Infelizmente, a maior parte das praças de Maringá, no meio de rotatórias, pouco se prestam à socialização. São praças pouco acessíveis, ilhadas em meio ao tráfego, feitas para se olhar quando se circula de carro.No Brasil, o Lerner introduziu a idéia do calçadão quando fechou a XV de Novembro. Criticado e elogiado, muitas grandes cidades copiaram o modelo, e a idéia se mostrou uma solução interessante para centros degradados. Os mais diversos usos foram dados para estes espaços, dependendo do tipo de atividade que se desenvolvia nas edificaçoes lindeiras. Espaço cultural, de lazer, de feira, de gastronomia, de negócios, de circulação ou tudo isto junto, em revezamento ou simultaneamente. Voltando às calçadas de Maringá, se existe aí uma demanda de ocupação do passeio pelos comerciantes, (o que pode ser uma reivindicação justa), sugiro que se negocie o fechamento da rua aos veículos, para que os pedestres possam também usufruir da cidade com segurança (o que é certamente uma reivindicação igualmente justa). Deste modo, pode-se resolver dois problemas de uma só vez: desestimula-se o transporte particular poluente e devolve-se à rua seu caráter democrático e urbano.
Marcadores: , , , ,

Alô, povo! Rebelem-se!


Cansei! Os ricos bilionários também cansam....


Brasiu! Depois do PAN, o circus!


Circus sem panus

DO BLOG de ROBERTO ROMANO

Tradição do circo por Carlos Heitor Cony.

Foi estimulante para a nação a cerimônia de posse do novo ministro da Defesa. O astral da pátria andava por baixo com a sucessão de problemas e tragédias. Em aparição anterior, Lula declarou pateticamente que estava com o coração sangrando, desobedecendo ao conselho de sua ministra do Turismo, que sugeria relaxamento e gozo a todos nós.O alto escalão do governo decidiu acabar com as agruras aéreas e, embora o presidente já tivesse marcado dia e hora para resolver o problema, o tempo foi passando e tudo piorando até o desastre com o Airbus da TAM e seus quase 200 mortos. Alguma coisa precisava ser feita para distender a fossa nacional, e nada melhor do que a cúpula do governo reunida para dar posse ao novo ministro e agradecer os serviços do antigo. Todos estavam risonhos, Lula provou mais uma vez ser o brasileiro comum que entre outras coisas tem medo de avião e citou a mulher do novo titular da Defesa, que o ajudou na substituição do Waldir Pires. Como nas rubricas dos discursos parlamentares, houve risos entre parênteses (risos).No fundo, uma técnica vinda dos circos, que são mais antigos do que os desastres de avião. Quando os trapezistas se esborracham no chão e a platéia se levanta horrorizada, o dono do circo, de casaca, cartola e botas, brandindo o chicote do poder entra no picadeiro e ordena que a banda toque uma polca para animar o respeitável público (público de circo é sempre respeitável). Entram em cena também os cinco ou seis palhaços e anões da companhia, dando cambalhotas e chutando-se mutuamente.Nada melhor para distender os ânimos, esquecer os trapezistas esborrachados no chão. Uma tradição circense que em boa hora o governo adotou para relaxamento geral.Carlos Heitor Cony na Folha

Esculhambação por João Ubaldo Ribeiro

Mas, honestamente, que outra palavra pode ser usada para a sensação que nos acomete, diante do que vem sucedendo no Brasil? Só esculhambação mesmo. Desgoverno também, mas desgoverno é pouco, esculhambação é mais plurívoca, mais conotativa, mais colorida. Acho que basta qualquer um ligar a tevê para ver o noticiário ou abrir o jornal e a sensação de esculhambação é avassaladora, nos engolfa por todos os lados.O pavoroso desastre de Congonhas: cada dia uma coisa, ninguém sabe de nada. O governo, em vez de se interessar genuinamente pela tragédia, resolve se concentrar na preservação da própria imagem. Aí a gente vai ver as notícias e os responsáveis por órgãos envolvidos com o tráfego aéreo estão sendo condecorados por serviços prestados à aviação. Quer dizer, uma pessoa desesperada com a perda de parentes ou amigos pensa que pelo menos o governo deve tomar alguma providência, ainda que tardia, e o que vê é a condecoração. Como puderam ter a insensibilidade de fazer isso? A não ser que o "relaxe e goze" tenha sido mesmo uma palavra de ordem, ou a atitude geral dos governantes para conosco seja mesmo resumível nesse deboche. A esculhambação, nas companhias que desprezam o viajante e no governo que as fiscaliza, já tinha brilhado assim que se teve notícia do desastre.Pois o presidente da República, que por acaso se encontrava no país, não sumiu por três dias, num gesto de pusilanimidade, grossura e falta de grandeza para o cargo? Enquanto desastres bem menores, sob chefes de Estado e governo conscientes de suas obrigações morais e políticas, levam aos atingidos as visitas pessoais de reis, rainhas, primeiros-ministros, ministros, primeiras-damas e assim por diante, aqui todo mundo, a começar pelo presidente, se escondeu.Não há nada que justifique isso. Segundo tenho ouvido comentar, o principal fator foi o medo de vaias. Nosso líder, nosso guia, o presidente de todos os brasileiros, não cumpre seu dever moral de estar presente e à frente nos momentos difíceis vividos pelo país porque tem medo de vaias. Não pode ser, não acredito ˜ mas que outra razão ele teria? E já li nos jornais que, na semana que passou, entre ir a lugares onde poderia receber as ingratas vaias e a outros onde o Bolsa-Família o escuda, dá exclusividade a esses últimos. Que coisa, os lugares onde ele é vaiado não devem pertencer à realidade. A realidade é outra, é a do aplauso. Agora me ocorre que, no vasto e doce jardim de mordomias trazido pelo poder, está, tradicionalmente e em importante posição, a possibilidade de, se a realidade for desagradável ao governante, trocarse a realidade. Dizem que, quando Catarina da Rússia viajava pelo seu vastíssimo império, auxiliares construíam cidades prósperas ˜ cenográficas, por assim dizer ˜ para ela ver em sua passagem e dessa forma não ter idéia da desagradável miséria de muitas daquelas regiões. Semelhantemente, o presidente escolhe a realidade nacional a que prefere ser exposto. Junto a este, o argumento de que esse negócio de crise aérea só interessa a barão que viaja de avião e não ao povo mesmo, alegação que já ouvi vociferada por admiradores do governo. E pronto, está tudo certo, Deus tenha piedade de nós. Ouvimos as mais desvairadas versões sobre o que aconteceu e as medidas que foram ou serão tomadas. A única coisa de que se tem certeza, segundo depreendo do que venho lendo, é que as passagens aumentarão de preço.É uma mudança, não se pode negar.Contam-nos que os órgãos criados para administrar a aviação civil são frondosos cabides de empregos, onde pouca gente sabe falar mais sobre um avião do que "ele tem asas", assim como há cabides de empregos em toda parte, todo mundo "colocado" e ninguém sabendo fazer nada. A capacitação é requisito suntuário ou inexistente nesta administração. Administração é modo de dizer, pois, a começar pelo presidente, ninguém no governo sabe administrar. Administrar é viajar, discursar e ser ovacionado, parece pensar o presidente de um governo que vive mais de reagir do que de agir e que, tudo bem avaliado, não fez foi nada até agora, além do que estamos vendo aí. E ninguém administra nada, ninguém é competente em nada daquilo a que está ligado, ninguém sabe nada, a impressão é de um viveiro de baratas tontas semitartamudas ou arrogantes. Estamos testemunhando o apagão aéreo tudo bem, coisa da repulsiva classe média, não interessa verdadeiramente ao povo que aplaude.Mas será que ficaremos por aí? Não custa lembrar um dos poetas mais populares do Brasil, Augusto dos Anjos, e um de seus versos mais conhecidos: „A mão que afaga é a mesma que apedreja‰. Porque, pelo arrastar da carruagem e pela aceleração quelônia do PAC, pode-se ter uma razoável expectativa do apagão rodoviário, do apagão portuário, do apagão da saúde, do apagão da educação etc. Está tudo acontecendo, só não vê quem não olha. E, como apoteose, o apagão literal, um apagão de energia lá para 2010, ou até antes.É, talvez venha a ser difícil, em futuro relativamente próximo, achar lugar para se esconder, muito menos das vaias. Se bem que a escuridão, inclusive a do apagão mental, ajude bastante. João Ubaldo Ribeiro no Globo

Hoje o dia é de Maringá!


Do BLOG do Angelo Rigon, jornalista e blogueiro de Maringá. Rigon dá a notícia que foi capa do jornal maringaense, O Diário de ontem, domingo. Ontem, quando cheguei na banca de jornais para comprar O Diário, vi a manchete e desisti de comprar. Um jornal não pode fazer a campanha do prefeito sem nenhum pudor. Hoje lendo o BLOG do RIGON tirei de lá o comentário dele e dos anônimos. Legal ler estas pérolas!
Superfaturamento
O Diário publica matéria, na edição de hoje, sobre o superfaturamento de materiais de higiene .adquiridos pela prefeitura de Maringá (aqui, para assinantes), para uso em creches. No dia 26, quando se falou no superfaturamento, o blog referiu-se ao envolvimento de uma grande rede de farmácias. A reportagem cita a rede Farmácias São Paulo, inclusive com reprodução de nota de compra.
Postado por Angelo Rigon
Vejam os comentários
Anônimo disse...
Rigon, já todo de saco cheio, com essa tal de Controladoria, sabe porque? Achar irregularidade é fácil, culpar as empresas que superfaturam e mais fácil ainda, Rigon me responda voce acha que qualquer empresa consegue superfaturar algum produto em mais de 2.300%, se não for combinado com o corrupto. Então sr. Prefeito, até o senhor faz um discurso até bonito, mas: O povo quer saber?
1- O nome de quem esta autorizando a compra, ou esta conduzindo a licitação.
2- E muito estranho, depois de todo esse superfaturamento, o responsável pelo empenho, ou seja o pagamento, eu que sou meio bobo ver aquelas notas fiscais que foram estampadas no jornal, eu não pagaria.
3- Então, Senhor Ariovaldo o senhor tá querendo nos dar um diploma de trouxa, para sociedade, para quem entende um poucao de economia, o senhor não entende nem administrar um carrinho de cachorrão. Senhor Ariovaldo, ou responsável pela esta tal desta controladoria, responda quem esta pagando, na otica e no pensamento de quem realmente sabe analisar o maior corrupto é quem paga! É mais ou menos assim , quem é mais culpado,"O ladrão ou receptador" O povo quer saber e pare de fisiologismo barato, queremos mais ação punido os envolvidos.Ari.Ari.voce tá querendo fazer virar pizza igual CPI Mensalão. Bingos, furacão, sanguesugas, cheque mate,Renan, Roriz, e tem mais mas se eu digitar só o que eu me lembro vou ficar a noite toda.Fuiiiiiiiiiiiiii!
21:42
Anônimo disse...
OS GATOS E SEUS ESCUDOS. Estes problemas que vem acontecendo nas licitações da PMM, divulgado pelo nosso Prefeito Silvio Barros II, faz nós lembrarmos de uma antiga musíca de Pedro bento e Zé da Estrada (a boiada do Araguia). Para quem não ouviu, ela conta que os boiadeiros para atravessar com uma boiada no Rio Araguaia infestado de piranhas,colocam a frente um BOI VELHO, pois enquanto as piranhas o devoravam, o restante da boiada atrevessa o Rio.A semelhança é que na Prefeitura de Maringa, quem esta no lugar do velho boi, são os FUNCIONÁRIO PÚBLICOS DO SETOR DE LICITAÇÃO, dos quais o Prefeito e Secretarios da atual a administração, falam em cortar suas cabeças.
22:12
Anônimo disse... De uns tempos para cá esta farmácia (rede) foi a que mais cresceu em nossa cidade.
Comentário: Ou seja, tem gente que quer saber mais do que o jornal e o prefeito contam. Isto é que é a questão. To be or not to be dono de jornal.

Os sonhos do Ronaldo (ou pesadelos) em Maringá

Imagem: Freud

Li este post no Angelo Rigon, fui ao Blog do Ronaldo e cá está o texto. O Ronaldo tem um pesadelo. Oh, Ronaldo! Este pesadelo é meu, o nosso também.... Reproduzo o post aqui:

De vez em quando sonho com os políticos. Eles me perseguem. Meu último pesadelo foi com as freqüentes viagens dos vereadores para Curitiba. Os parlamentares do município têm mania de ir a Curitiba. Numa dessas recentes viagens, dois deles até se envolveram num acidente.
Bem, como acordei sob impacto do pesadelo, fiquei pensando se essas viagens para a capital trazem benefícios para Maringá. Como não estou a fim de pedir um levantamento à Câmara de Vereadores, estou lançando um desafio: qualquer vereador, assessor ou eleitor que saiba de qualquer coisa boa que os parlamentares conquistaram para a cidade nessas viagens para Curitiba pode postar um comentário aqui. Que tal relacionarmos apenas três conquistas, resultantes dessas viagens? Acho que três coisas boas trazidas da capital é um bom motivo para compensar os gastos com diárias… Concorda?

Comentário: Ronaldo, eu vejo a maioria dos políticos como crianças. Crianças que nunca tiveram brinquedo e quando crescem, um carro de R$70 mil reais (do dinheiro nosso, é claro) vira brinquedinho. Crianças que nunca viajaram, eram pobres e quando crescem deslumbram-se viajando (com o dinheiro nosso, é claro), crianças que nunca comeram paella, suflê e quando param em restaurantes "chiques" comem até morrer (com o dinheiro nosso, é claro).... É uma questão psicanalítica! Ferud explica! A Política também!

Calçadas? Não, fachadas!








Estas fotos tirei-as em 2006 e foram publicadas em meu antigo BLOG. São fotos das calçadas de um prédio, hoje pronto, no "novo" centro, em frente ao Shoping (xóping) Avenida Center ( estética de novo não tem mesmo). Alguém tomou providências? SIM. A LEI permite. O povo, ora o povo! Que morra atropelado. (AS fotos foram feitas com celular, não estão boas, mas dá para ver o descaso com o povo da cidade).

BLOGAGEM COLETIVA: em Maringá não há calçada, há vereadores!





Fotos: Andye Iore, jornalista e blogueiro do Toscorama

Esta blogagem coletiva foi decidida na última reunião dos blogueiros maringaenses aqui em casa. Na cidade toda, a chamada cidade verde, as calçadas ou são ocupadas pelos amigos empresários ou estão quebradas, ou estão com cimento em cima das árvores.... Moro perto da Vila Esperança. Aqui as çalçadas são chamdas de "mata véio", "destronca pé", "mata burro".... hehehe..Para começar dou o título aos vereadores CUJAS leis são essas...

Maringá: em terra de amigo de vereador, quem usa a calçada não atrapalha

Andar nas calçadas de Maringá chega a ser um desaforo. Quem constrói prédios, ou seja, os amigos empresários, é claro, colocam tampões que avançam na calçada. Se você quiser ser atropelado é só andar por ali. Está com pressa e vai passar na frente de muitas lojas? Então, paciência... vai pular em cima de caixas, de balões, de gente com microfones, de danças, circo.... Se você descer da calçada é atropelado por motos, carros e bicicletas de donos ensandecidos. As calçadas parecem a casa da mãe Joana. Em Maringá parece que não tem lei. MAS tem!
Temos a LEI Complementar 627/06 de Autoria do Poder Executivo, assinada em 25 de setembro de 2006 pelo prefeito Silvio Barros e pelo chefe de Gabinete, Ulisses MaiaO artigo XVI aponta o valor mínimo para a taxa de Licença paraOcupação de Solo nas Vias e Logradouros de R$ 23.O anexo VII aborda a cobrança da taxa de Licença para Ocupação de Solonas Vias e Logradouros, sendo que o terceiro item aponta as mesas emcalçadas sob o pagamento de R$ 91 ao ano.O quarto item versa sobre os demais espaços ocupados e devidamenteautorizados, sendo R$ 21 ao dia, R$ 54 ao mês e R$ 892 ao ano. AGORA há outra LEI, a Lei Complementar 638/06, de autoria dos vereadores OdairFogueteiro (sim fogueteiro, hehehehe), Aparecido Domingues "Zebrão"(zebrão, sim hehehe), Altamir dos Santos, BelinoBravin, Chico Caiana, Márcia Socreppa e Mário Hossokawa foi assinada em 28 de dezembro de 2006 pelo prefeito em exercício Carlos RobertoPupin e pelo chefe de Gabinete, Ulisses Maia.Ela altera o artigo XVI, da Lei 627/06, passando o valor mínimo de R$23 para R$ 15 para a taxa de Licença para Ocupação de Solo nas Vias eLogradouros.E também muda o anexo VII – também reduzindo os valores anuais –determinando como referências de cobrança as regiões localizadas osestabelecimentos, cujos valores são de R$ 15, R$ 30 e R$ 45).

SOS calçada! Os preços abaixam para os amigos comerciantes? Para os amigos empresários? Alô, vereadores! Qual é a vossa? Qual é a tua? "Mi esprica o que se asusede"

domingo, 29 de julho de 2007

Acabou o PAN, vamos desmontar o circo!


Do BLOG A verdade do PAN

Jornal O Globo - edição impressa29/07/07

Um parêntese de felicidade por Dorrit Harazim

Desde que as rotas do XV Pan e do Airbus da Tam se cruzaram na funesta terça-feira de 17 de julho, o país passou a alternar momentos de alegria vulcânica com abismos de horror. Para quem assistiu de casa ao noticiário ininterrupto e consecutivo dos dois dramas, as lavadas d’alma e o medo foram sendo expiados um após o outro, em privado. Resultado: um estado de bipolaridade (termo tão na moda) nacional que especialistas haverão de estudar por muito tempo ainda. Já para quem saiu de casa e foi assistir aos Jogos com o coração verde-amarelo, a solução foi abrir um parêntese de felicidade e deixar de fora o Brasil real — aquele que há 500 anos opta pelo descaso. De fora dos estádios, dos campos, das pistas, das piscinas, e torcer até se esbaldar. Ocorre que os dois brasis são indissolúveis. As cenas de pugilato nos aeroportos e nas bilheterias dos estádios são fruto da mesma impotência diante do abandono à própria sorte. Criado para durar 16 dias, o Brasil do Pan terá sua festa de encerramento hoje marcada por um “ufa” de alívio com tantos ouros e louros conquistados. Só que a corrida não acabou. Este Brasil do Pan terá sido apenas uma linda miragem se ele não prorrogar o embate com o seu maior adversário — o Brasil de sempre. Coube a dois Silva serem os primeiros a sinalizar o que está em jogo, e sempre esteve. Ambos nasceram do lado errado da escada social brasileira, com direito a uma ladainha de queixas. Ambos venceram. Um fez a dura travessia do campo nordestino para a cidade grande, abriu picadas impensáveis na política e foi instalado pelo voto num palácio.O outro sequer precisou se mover — já nasceu na periferia do crime urbano, dela saiu dando chutes de taekwondo e chegou ao pódio do Pan com uma medalha de ouro no pescoço. Luiz Inácio Lula da Silva levou a já célebre nunca-na-história-deste-país maior vaia do Maracanã, pelo que não faz, não diz, não decide. Diogo Silva, além de primeiro medalhista de ouro brasileiro nestes Jogos, foi aplaudido de pé pelo que faz, como faz e quando faz. Lutou e venceu com uma das mãos quebradas desde abril — “ele é assim mesmo, enfaixa e vai em frente”, diz a mãe manicure, com a maior naturalidade.Diogo usa dreads, fala claro e não tem espaço para se declarar triste. Continua exigindo e cobrando, dentro e fora do tatame. Se os atletas de elite do taekwondo continuarem a receber apenas R$ 600 mensais, com três meses de atraso e com a mesma estrutura esquálida de hoje, o Pan ficará menor do que foi. E mais parecido com o país que ainda hoje tem mais de um milhão de almas sem certidão de nascimento.É ao mesmo tempo comovente e aterrador que o esporte de alto rendimento abrigue talentos como o carateca da Baixada Fluminense Juarez Santos, que precisou conquistar o ouro “com a ajuda de Deus”. Sempre Ele. Ou que a figura maior e mais arrebatadora deste Pan, a atacante Marta, tenha precisado aprender a jogar bola “com a natureza”, lá no fundão de Alagoas, antes de acender ao topo movida a gana. Aliás, ela e suas companheiras de exuberância suada merecem o técnico que têm.Qual é mesmo o nome dele? Poucos, entre os 70 mil torcedores em estado de graça na final dourada de quinta-feira, saberiam responder. Mérito de Jorge Barcellos manter perfil tão anônimo no comando de um time em pico de celebridade e de uma jogadora eleita pela Fifa como a melhor do mundo. Para Barcellos, quem deve estar na vitrine, para os aplausos, são as atletas.A necessária apuração sobre os custos e os gastos do Pan-2007 só fará sentido quando se souber qual o destino reservado a tanto investimento.Que toda cidade-sede ultrapassa o orçamento original, seja em Pan-Americanos ou olímpicos, tornou-se fato quase inseparável do evento. Ainda em maio último, uma acusação varreu as galerias do Parlamento britânico diante das novas cifras para a Olimpíada de 2012, em Londres: “escândalo”, “escândalo”, apontou a oposição conservadora.O orçamento triplicara em menos de um ano, saltando de 3 bilhões de libras esterlinas para mais de 6 bilhões.E ainda faltam cinco anos.O real valor da conta do Pan2007 só ficará claro dentro de alguns anos. Se, por exemplo, o Parque Aquático Maria Lenk estiver funcionando a pleno vapor como centro de treinamento para a elite e competições de alto nível, com alojamento para os atletas, o seu custo terá sido menor. Inversamente, o preço se tornará estratosférico se, como chegou a anunciar o governador Sérgio Cabral, o antigo Parque Aquático Julio de Lamare ou o Estádio Célio de Barros, ambos vizinhos do Maracanã e utilizados para o esporte de base, forem demolidos para dar lugar a um shopping center, hotel ou centro de convenções. Seria o retrato do Brasil de sempre. O Rio não apenas sobreviveu ao Pan, mas acabou torcendo por ele. Não houve o temido apagão terminal do trânsito, os atletas não se viram encurralados num arrastão, as instalações não revelaram falência múltipla de órgãos — à exceção da arena de beisebol e softbol. Houve falhas graves, outras releváveis.Mas no cômputo final quem apanhou não foram as competições nem os atletas. Foi o público.— Do que o senhor tem mais medo? — perguntou-se ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Nuzman, três dias antes da abertura da Vila Pan-Americana.— Dos serviços — respondeu na lata. Tradução: transporte, alimentação, ingressos. Tendo trocado quatro vezes de motorista-voluntário durante os Jogos de Atlanta, por ter ficado a pé ou não ter chegado a lugar algum naqueles Jogos, Nuzman tinha optado pela contratação de motoristas remunerados, e não voluntários, para dirigir os ônibus e viaturas da chamada família panamericana. Deu certo e nenhum atleta foi parar no Morro do Alemão. Em contrapartida, a mistura de ganância e bagunça que regeu os dois outros quesitos conseguiu superar os temores. A cadeia de lanchonete Bob’s, responsável pelo fornecimento de alimentação em todos os estádios e arenas, fabricou lindos cartazes apregoando: “O sanduíche exclusivo dos XV Jogos Pan-Americanos”. Só que, de tão exclusivo, o sanduíche costumava acabar em meia hora. Foram dias e mais dias de cachorro quente frio e bebida racionada quente. Caixotes de madeira fazendo as vezes de caixa registradora, atendentes às voltas com contas rabiscadas em pedaços de papel, notas fiscais inexistentes, houve de tudo. A troca de acusações entre a Comitê Organizador e a rede de alimentação promete se estender bem além dos Jogos, mas de uma coisa o público não duvida: qualquer ambulante ou flanelinha de engarrafamento teria previsto melhor o fluxo da demanda. A falência da operação de venda de bilhetes antecipados, por sua vez, que se desdobrou numa peregrinação de troca de vouchers por ingressos e bilheterias abarrotadas, levou a Força Nacional enviada de Brasília a usar gás pimenta contra famílias que apenas tentavam entrar no Maracanãzinho no jogo de estréia do vôlei brasileiro e anteontem. Para quem se propõe a se candidatar aos Jogos Olímpicos de 2016 este foi, talvez, o desastre maior e mais evitável. O pecado nacional mais ruidoso — as vaias aos atletas , bandeiras e hinos de países considerados adversários — é o mais fácil de consertar. Basta a televisão, a imprensa, os locutores de competição, e os próprios atletas brasileiros sinalizarem que civilidade esportiva e patriotismo também combinam.Tudo computado, mas diferentemente da Eco-92, o Pan-2007 lotou o metrô de desertores do transporte público, encheu calçadas, devolveu ruas aos passantes e vestiu o Rio com sua gente. Não erradicou a violência nem eliminou a criminalidade. Apenas plantou raízes para apaixonar pelo esporte toda uma geração de menores sem rumo — e estes sim, no futuro, talvez diminuam a violência e a criminalidade. Há tempos não se tem uma chance tão grande. Ela não se repetirá tão cedo. Resta àquele Brasil de sempre parar de discursar e começar a fazer. A todos nós, cabe cobrar e correr atrás.

Este país é um zorra!


O negócio do empresário que está p* com Kassab


Do BLOG do Marcelo TAS (uol)
Como dizia tia Rita Lee, não sei se estou pirando ou se as coisas estão melhorando. Ou seria piorando de vez?De uma hora para outra, descobriu-se que um prédio gigantesco, já quase prontinho para ser utilizado, estava bem no caminho dos aviões que aterrissam em Congonhas. Depois se viu que os alvarás apresentavam traços esquisitões: são suspeitos de suborno ou ilicitudes. Embarga-se o colosso de Rhodes, já aprovado pelos quase sempre alertas técnicos da Prefeitura e Aeronáutica. Well, não estou aqui para defender o prédio. Por mim, ele estaria embargado pela sua simples feiúra. Mas vamos aos fatos. O dono do prédio é tratado como um "empresário". O que ninguém perguntou ainda ao digníssimo "empresário" é qual a finalidade do seu ex-futuro negócio: hotel, flat, motel ou palácio dos prazeres? Sim, porque o próprio dono do prédio já se definiu como "o mais bem-sucedido empresário do erotismo no Brasil”. Aliás, o homem adora um microfone. Existem dezenas de reportagens em diferentes veículos, disponíveis a um simples clique, contando as proezas dele que vem a ser o proprietário da maior casa de meninas de luxo que trocam prazer por dimdim de São Paulo, o Bahamas. Aliás, o Bahamas, vejam vocês, é vizinho de muro do "Oscar's", o nome escolhido para o ex-futuro "empreendimento" de Oscar Maroni Filho, o homem na foto com aparentemente duas amigas, auxiliares ou simplesmente ainda desconhecidas, pois ao invés de suas faces nos mostram os traseiros. Bem apessoados, por sinal.Mas, se você chegou agora no assunto e não conhece o moço, viva a internet! Abaixo, copio início de matéria da revista Isto É Dinheiro, do repórter Christian Carvalho Cruz, publicada em 29/09/2004.Não quero tirar conclusões apressadas, mas penso que essa história confirma a tese: este país é mesmo uma zona!..::..Oscar Maroni, muito prazerQuem é o empresário que constrói uma Disneylândia erótica em São PauloJeans surrado, camiseta preta justinha, sapatos de camurça sem meia, piercing na orelha esquerda, cara de mau. O empresário Oscar Maroni Filho caminha rápido pelo meio-fio e vai apontando, sem pudor: “Este Jaguar é meu, esta Mercedes é minha, aquela Harley Davidson também, os dois apartamentos do último andar daquele prédio são meus, este terreno é meu, esta casa também, aquela outra, mais aquela...”. Maroni já tem 70% de um quarteirão inteiro no bairro de Moema, perto do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Quando conseguir os 30% restantes, mandará sozinho em uma área de 10.000 m2 numa das regiões mais valorizadas da cidade. Ali, o imperador do prazer está erguendo sua Las Vegas particular de R$ 50 milhões, com direito a casa noturna, hotel cinco estrelas, restaurantes, arena para lutas, shows e apostas. “Não sou o único, mas sou o mais bem-sucedido empresário do erotismo no Brasil”, diz, ao parar na praça onde pretende instalar um chafariz de águas dançantes, no estilo dos cassinos americanos. “Morri de inveja do Abílio Diniz quando ele fez aquela fonte no Lago do Ibirapuera.(para ler a reportagem completa, clique o site da Isto É Dinheiro)Foto: Frederic Jean

Haja deboche!


Os deboches do dia
Das prioridades desse governo...

Finalmente, o governo anunciou que comprará o ILS 3, sistema que permite pousos e decolagens em qualquer condição metereológica. Haverá um sistema desses em aeroportos de São Paulo, Rio, Brasília, Curitiba e Porto Alegre.
Sabe quanto custa cada sistema? A merreca de dois milhões de dólares. Total: 10 milhões.
O governo gastou essa mesma quantia para pôr no espaço o primeiro astronauta brasileiro - aquele que experimentou plantar brotos de feijão e que, na volta, abandonou a carreira militar para ganhar dinheiro na iniciativa privada.
Noblat

Nós samo brasilero....não estrangero!






Do BLOG PÉROLAS
É genuíno o medo que Lula tem de aviões, mas a confissão pública foi sugestão dos seus marqueteiros, lastreados em pesquisas de opinião. Comentários: os marqueteiros de Lula são um terror. Depois do acidente falar isso? Putz!
...
A Radiobras não reproduziu na íntegra o longo discurso ontem (46m33s) de Lula em João Pessoa (PB), em mais uma etapa do "tour" de lançamento do PAC no Nordeste. Omitiu, no resumo jornalístico, o trecho em que o presidente, depois de exaltar a necessidade de investimentos na Educação - com "essa meninada presa" - atacou os que falam uma língua estrangeira e os que o criticaram na campanha presidencial por não falar inglês, espanhol ou francês - o que o impediria de conversar com dirigentes estrangeiros. "A língua é o valor da pátria, temos que aprender a falar corretamente a nossa língua", bradou Lula, num discurso populista digno de elogios chavistas. "Brasileiro falando a língua do outro é um metido a besta", avalia o presidente. Criticou também os representantes brasileiros que falam inglês ["falando em estrangeiro" (sic)] em solenidades no exterior (atenção, chanceler Celso Lafer, olho vivo, presidente do Banco Central Henrique Meirelles). Para Lula, o ex-presidente dos EUA Bill Clinton deveria falar português com os brasileiros. "Nos samos (sic) brasileiro, temos orgulho do jeito que samos (sic) (...) um país multético (sic)." Ok. As autoridades francesas só falam francês em público, as americanas, porque se permitem manter a arrogância de maior potência mundial, também. Mas o Bill Clinton arriscou umas palavras em português na visita ao Brasil, Bush filho falou com Lula um tico de português misturado ao espanhol. E Lula...bom, o presidente realmente não precisa falar inglês. E pelo que se ouve a partir dos 20 minutos do discurso, português também não. O próximo PAC deveria incluir verbas para ensino obrigatório da linguagem dos sinais para viagens ao exterior e navegação na internet.
Claudio Humberto

A passeata em São Paulo


Recebi da amiga blogueira Giulia, de São Paulo. Giulia participou da passeata hoje de manhã em São Paulo, com cinco mil pessoas. Foi um ato em solidariedade às famílias das pessoas assassinadas pela TAM e um ato contra os políticos corruptos do Brasil (quase todos, não?!)

Disse Giulia: Amigos e blogueiros,
A passeata de hoje de manhã foi linda! Faltaram "apenas" 4.995.000 das pessoas que eu gostaria estivessem lá... Não faz mal! Estava chuviscando e fazendo muito frio, sabe como é Sampa. E tem mais aquele ditado: "O paulistano não é solidário nem na morte!". Eu acho esse ditado injusto, pois veja bem: na parada gay foram 3,5 milhões!...
Mas aconteceu uma coisa inédita, pelo menos eu nunca vi isto acontecer nas passeatas das quais participei: os manifestantes expulsaram um pessoal que apareceu com bandeira de partido! Eu estava muito na frente e não vi direito, mas lá no fundão o pessoal começou a gritar: "Bandeira não! Bandeira não!". E os caras tiveram que ir embora. Parece que o conceito de cidadania está se fortalecendo, não?
Eu virei um "cartaz humano" e muitos blogueiros vieram me cumprimentar. Como há blogueiros neste país! Alguns tiraram o cartaz da minha mão e fizeram questão de levá-lo por mim. O único blogueiro conhecido que encontrei era do Alerta Total, mas havia também ex-blogueiros que diziam ter desistido por desânimo.
Conversei também com uma mãe que levou seu bebê adormecido dentro de um carrinho "blindado" e disse que queria acostumá-lo cedo ao exercício da cidadania. Por ironia, o menino havia nascido nos EUA. Havia muitas mulheres sozinhas, inclusive de idade, levando flores e solidariedade para os parentes das vítimas, que estavam muito emocionados durante o percurso.
Havia também os oportunistas de plantão, mas um grupo puxou um slogan perfeito, que se aplica a quase todos os políticos (alguém duvida?):
PÁRA DE ROUBAR E COMEÇA A TRABALHAR!
Já pensou 5 milhões de pessoas gritando isso? Os políticos não iriam começar a tremer nas bases?...
Vocês vão me perguntar: o que você ganhou ao deixar sua cama quentinha num domingo de manhã para andar durante três horas numa cidade poluída, ver gente chorando e um prédio destroçado? Ganhei, ganhei sim! Me senti parte de um pequeno grupo que eu sempre espero se torne maior, por mim, pela minha família e pelo país. Só sei que eu passaria um dia péssimo se não estivesse lá.
Um grande abraço a todos, principalmente aos blogueiros que permitiram divulgar seu nome no release!
Giulia

Tico e teco, por favor....




Anônimos disseram....
"Marta, eu não te entendo, vc critica Lula, PSDB e chama o rei-quião de rei..."
"Rei? chama o rei-quião de rei?"
Tico e teco: vcs precisam estudar figuras de linguagem ou de retórica. Há uma figura que se chama IRONIA. Então, queridos neurônios anônimos. Será que vcs se acostumaram com as metáforas rastaqueras do Lula e, embora, oposição ao Lula vcs são como ele? hehehehe Ou será que vcs são estalinistas? Querem que todos pensem que vcs, só vcs têm razão? Oh, colegas, estudar é tão bom.
Ironia: ver figura de retórica no livro do Olivier Reboul, Retórica, Editora Martins Fontes. Estudem senão vão ficar igual ao Lula, ao professor Luizinho, ao Severino, àqueles lá... em Brasólia.

Como interpretar a ironia (algumas lições):
Alguém já viu REI com panela na cabeça? Oh, colegas! Deixem de patrulhar as minhas coisas com apenas 2 neurônios. Parem de se mirar em Stalin.
Imagens: Lenin chateado com a exquerda. Lenin tomando Coca, embriagando-se de tanto ouvir besteira da exquerda.

Magritte


Huhuhuhu ....




Vão lá....


JURO, mas juro mesmo... não fui eu quem as fez. Tirei-as dos Blogs Idéias Ácidas e do Solda. Tá!?

Espelho, espelho meu....

Para a Júlia, minha filha, que ama futebol. Esta charge é bem bonita. Em que espelho olham os barsileiros? No do Renan? Roriz? Lula e seus petralhas? no Demo? PSDB? PP? nos vereadores que compram laptops sem licitação em Maringá? nos vereadores que compram carro de R$70 mil reais para lotear seus eleitores em Maringá? No Reiquião que deixa as escolas às môscas? Um breve descanso para os brasileiros que viram o pessoal ganhar sem roubo, sem prediletos, diletos, apenas com esforço próprio. No mar de lama há espaço para chão ...

Os aviões das empresas brasileiras são sucata? E o governo...


Parece que são! A TAM reforma o airbus que já havia passado por El Salvador (alguns dizem que também pelo Vietnã). Nada contra El Salvador e Vietnã, mas .... os empresários cuidam de seus aviões? Ontem, um avião da Ocean Air pega fogo em uma das asas e desce em Ilhéus, Bahia. Em 2003 vim de Manaus pela VASP e os passageiros pensaram que seriam comida de bicho da floresta. Em 2002 pela TAM quase caimos em Campinas. Outra vez em Curitiba. O caos é de longa data. Mas, como a dona Denise charuteira Abreu, diretora da Anac (sic) disse: acidente é só quando um avião colide com o outro no ar! Taí, uma coisa nova que eu não sabia. hehehehe burrice demais cansa!

Enquanto isso 1, Fidel Castro castra seus heróis: não permite que o pessoal receba a medalha de bronze. Todos são obrigados a zarpar com o avião fretado para Cuba.
Enquanto isso 2 Lula vai para o nordeste fazer política com o dinheiro alheio (explico: com o FGTS que sangrou para o PAC), fugiu da raia...
ENQUANTO isso 3 os brasileiros do PAN (meninos e meninas) mostraram muita beleza nos esportes. Graças à minha filha Julia (que adora esportes) eu pude ver como temos gente boa no Brasil. Pobres que se fizeram sozinhos (sem a zelite), não reclamam disso, não usam metáforas sofrêgas como as de "noço" presidente. Não condenam os professores por terem estudado e eles não... Não fazem fita, cena, fazem esportes. São gente mesmo. Bacana.

O movimento Cansei ... da OAB e etc. Como disse um psicanalista Tales Ab Saber: que sentimento de impotência!

Pt lê a VEJA...e gosta!


Do BLOG Leite de Pato

MÍDIA GOLPISTA É A TÁBUA DE SALVAÇÃO DOS PETISTAS DESCONTROLADOS!!!
A matéria da Veja diz que a caixa preta culpa o piloto pelo acidente. Nunca vi tantos petistas felizes com uma das maiores representações da mídia golpista e oligárquica. Gostaria de ver agora a cara de Emir Sader, por exemplo. Esse pessoal vai parar de ver monstrinho embaixo da cama?De qualquer forma, como já comentei com meu amigo Gravataí Merengue: uma coisa é a culpa e a outra é a responsabilidade. Bem, continuo firme na minha disposição: esperar a poeira baixar. Afinal, dizem que as investigações podem levar dez meses.Vai ter muito disse me disse, muito blá-blá-blá. Bravatas, isso e aquilo. No primeiro dia comentei com a patroa: a culpa é do piloto. Se não é, vai ficar sendo.Mas que é divertido ver a escumalha petista defender reportagem da Veja, ah!, isso é!!!

CANSEI: o movimento da zelite nacional .... Movimento bancário, é claro!

Do BLOG de Roberto Romano sobre o movimento CANSEI

Bem no ponto, ou Bingo, como dizem os norte-americanos. O tal "movimento" proclama, desde logo, ser "apolítico", o que mostra toda a hipocrisia de alguns setores nele integrados. Como "a" político? Naquelas hostes retoma-se a idéia de que o serviço sujo deve ser feito pelos políticos, para os cheios de jóias que pretendem, apesar de serem os maiores beneficiários da corrupção, nada ter com o trabalho dos parlamentares, executivos, etc. Enquanto gente assim dominar as decisões da república (em seu favor), nada feito em termos de segurança coletiva, democracia, etc. Dá mesmo nojo ouvir as senhoras e senhores que lucram com o status quo que lhes é proporcionado pelo lullo-petismo (já esqueceram as adesões em massa dos chiques paulistanos e cariocas ao Lullismo mais brega? Já esqueceram a cadela Perepepê, cuja coleira tem pedras semi-preciosas?), lamentando o "caos" do Brasil. Com todos os equivocos, Claudio Lembo disse o que é preciso sobre aquela horda de enricados. Tragam o saquinho de vômito, por favor! Et au revoir, usuários de Rolex, L. Vuitton, etc. etc. Roberto Romano
Concordo em genero, número e caso com a postagem de Orlando Tambosi, sempre pronto a denunciar as tolices nacionais. Sábado, Julho 28, 2007.
Também estou fora dessa. Não resisti, viu, Letícia. Mas serei brevíssimo. Que estes cansados não contem comigo. Não demonstraram cansaço antes da reeleição, agora que se danem: venham para o nosso inferno quotidiano. E aquela mãozinha no peito, huuummm...Cansados disso e daquilo, mas não do Lula? Que vão se roçar nas ostras!!! P.S.: e, me aproveitando do Sponholz, deixo vocês com ele de novo...
Postado por Roberto Romano às 11:58 AM

sábado, 28 de julho de 2007

Andye me avisa...


Blog é isso aí!
Confiram essa:
"O blog da professora da Universidade Estadual de Maringá Marta Bellini reúne notícias que ela busca em vários sites e blogs de notícias políticas. Tem também ótimas charges e comentários ácidos de Marta, uma mulher que em seu blog diz que não pode "desisitir de lutar"..."Onde está isso?! No Blog do Ricardo Noblat, a maior referência jornalistica blogueira do país. Está em um post de hoje, às 11h.E tem gente que ainda tem a ousadia de me questionar quando cito a relação entre blogs e a imprensa de Maringá.
Marcadores: ,
escrito por Andye Iore às 16:15

COMENTÁRIO: Andye, eu vi a tarde quando comecei a receber e-mails de pessoas falando do Noblat. Eu indico o Blog do Noblat na sessão mídia e visito- o todo o dia. Aliás, envio algumas referências para ele, as vezes. Fiquei feliz mesmo. Recebi comentários elogiosos e um bem azedo. Valeu! isso dá mais força para continuar o meu ácido.... hehehehe

Renan, PAN e TAM 2

Do Blog do Noblat, Charge Amarildo

Que RICO!





Charges do Rico

Em Cuiabá: parvos como eu, reuni-vos para a vaia cuiabana

Anac: a incompetência de todos e da oposição

Imagem: Millôr
Do Blog de Josias
Um dos mais sólidos consensos produzidos pela crise aérea é a convicção, hoje generalizada, de que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) é ineficiente. Governo e oposição, unidos no coro que pede a renúncia dos gestores da agência, são parceiros na articulação que conduziu à inoperância. Em esforço conjunto, acomodaram na agência pessoas que não tinham nenhuma afinidade com o setor aéreo.
O caso mais eloqüente é o de Milton Zuanazzi, o presidente da Anac. Embora petista, ele foi indicado por um ministro do PTB, Walfrido dos Mares Guia (à época, Turismo; hoje, Relações Institucionais). Lula enviou o nome ao Senado. Ali, o processo de nomeação foi submetido à comissão de Infra-estrutura. Obteve o referendo de um relator tucano –Leonel Pavan (PSDB-SC)—e foi aprovado em sessão presidida por um “demo” –Heráclito Fortes (DEM-PI).
Havia 17 senadores presentes. Pela lei, deveriam ter crivado Zuanazzi de perguntas. Não houve, porém, um mísero questionamento. O nome foi aprovado em votação secreta – 15 votos a favor, um contra e uma abstenção. Nada fazia crer que Zuanazzi, engenheiro-mecânico pós-graduado em sociologia, seria um bom gestor da Anac.
Ainda assim, o relator Pavan, hoje vice-governador de Santa Catarina, recomendou-o efusivamente: “A análise curricular do indicado demonstra que ele atende plenamente as disposições [...] da lei, que define os atributos requeridos para os diretores da Anac.” O currículo indicava coisa bem diferente. Antes de assessorar Mares Guia na pasta do Turismo, Zuanazzi fora secretario do governo gaúcho, vereador e suplente de deputado federal.
Durante a sessão, o futuro presidente da Anac falou aos senadores sobre seus planos. Primeiro Zuanazzi definiu a Anac de modo um tanto acaciano: “Entendo que estamos aqui tratando de uma Agência Nacional de Aviação Civil, portanto, de uma agência de aviões que deve transportar civis”. Depois, pontificou sobre “o problema do setor aéreo brasileiro”. Disse que os aviões deveriam voar, “de preferência, cheios”. E vaticinou: “Quando resolvermos o problema dos aviões não-cheios, estará resolvido todo o problema da aviação nacional”.
O nome de Zuanazzi foi referendado pela comissão de Infra-estrutura do Senado em 12 de dezembro de 2005. Era o último dia de “trabalho” no Congresso, antes do recesso de final de ano. Na mesma sessão, foram aprovados, a toque de caixa, outros três diretores: o ex-deputado Leur Lomanto (PMDB-BA), uma indicação partidária endossada por Renan Calheiros; o coronel-aviador Jorge Luiz Veloso, sobrevivente do extinto DAC (Departamento de Aviação Civil); e Denise Abreu, afilhada do deputado cassado José Dirceu.
A ata da sessão encontra-se disponível no portal do Senado. Pressionando aqui, você será conduzido a um arquivo que contém a íntegra do texto. Traz os nomes dos senadores presentes. A leitura é tão enfadonha quanto obrigatória. O texto oferece ao (e)leitor uma experiência desalentadora. Os senadores escreveram nos anais do Senado as páginas de um descalabro anunciado. Sabatina não houve. Mas ouviram-se elogios até, veja você, à Infraero de Carlos Wilson (PT-SP), hoje investigada por duas CPIs, TCU, CGU, Polícia Federal e Ministério Público.
Embora todos tentem tirar o corpo fora, a alardeada incompetência da Anac é obra suprapartidária. O alicerce é governista, mas a oposição também sujou a mão na massa. Depois de consagrados na comissão de Infra-estrutura, os dirigentes da Anac foram aprovados, em 2006, pelo plenário do Senado. De novo, em votação secreta.
Escrito por Josias de Souza às 01h47

Comentário: INCOMPETENTES!

Ao Justo e aos in-justus e petralhas em geral


Braziu!

Braziu!

Arquivo do blog

Marcadores